5 Desafios da Educação que a Tecnologia Ajuda a Resolver


Sala de aula conectada permite avanços em questões como distância, infraestrutura e acompanhamento.

As maiores empresas do Vale do Silício não faltam às aulas. Por meio de gadgets, games e softwares, gigantes como Apple, Microsoft e Google estão presentes nas escolas.

No Brasil, soluções modernas apoiam o setor da educação com recursos que encurtam distâncias e promovem mais eficiência e economia.

Cinco grandes desafios estão sendo superados com a ajuda da tecnologia. Confira quais são eles:

1. DISTÂNCIA

Em um país com dimensões continentais como o Brasil, a distribuição via satélite supera limitações geográficas ao conectar as áreas mais remotas. O Sistema Educacional Interativo (SEI), implementado pelo Governo Estadual do Pará em parceira com a Embratel, é um bom exemplo disso. Desde 2017, o programa leva educação para 29 municípios de difícil acesso, muitos deles situados em áreas rurais, a mais de mil quilômetros de Belém.

As aulas são transmitidas via satélite para 145 escolas do ensino médio. Os alunos recebem ainda atenção especial de tutores locais e tiram dúvidas pelo chat.

O sucesso do SEI inspirou a Embratel no desenvolvimento de um projeto piloto em linha com as necessidades do setor.

A ser lançado ainda neste mês de setembro, o “Escola Conectada” proporciona um pacote de soluções que reúne conectividade, segurança e TI nos ambientes escolares. “Temos uma plataforma completa e unificada que oferece, além da conectividade e distribuição do conteúdo, recursos como Wi-Fi, segurança da informação, filtro de conteúdo, armazenamento em nuvem e medidores de presença por biometria”, explica Maria Teresa Azevedo Lima, diretora executiva da Embratel responsável por Governo.

Maria Teresa ressalta ainda que a empresa oferece soluções unificadas ao setor de educação, integrando serviços próprios e de parceiros. “Ao contratar um único fornecedor, expert em diversas frentes e com capacidade de integração, o demandante ganha em agilidade e acessa preços mais competitivos.”

2. APROVEITAMENTO DO TEMPO

Estudos indicam que os recursos tecnológicos vão liberar até 30% do tempo dos professores em sala de aula. Com menos tarefas burocráticas, os educadores poderão atuar mais próximos aos alunos. Entre as soluções que já estão em uso destacam-se os medidores de presença por biometria – é o fim da chamada diária. Além disso, salas virtuais (abertas pela própria escola) ajudam a potencializar o tempo dos alunos e dos educadores. É possível, por exemplo, compartilhar conteúdos sobre os assuntos que serão abordados no dia seguinte – dessa forma, todos chegam melhor preparados – e tirar dúvidas durante a tarefa de casa.

3. INFRAESTRUTURA

A cloud computing é velha conhecida das equipes de tecnologia. De acordo com o estudo IDC FutureScape 2018, mais de 90% das empresas usarão múltiplos serviços de nuvem até 2020. Nas escolas, o armazenamento e o compartilhamento de dados a partir de qualquer local serve aos alunos, educadores e gestores de diversas formas: armazenamento seguro de dados, economia de papel e liberação de espaço, acesso remoto à materiais multimídia de estudo, compartilhamento de ideias simultaneamente, entre outros.

4. CONTROLE DE SEGURANÇA

Até alguns anos atrás, bastava tirar a criança da frente da TV após determinado horário para poupá-la de conteúdos impróprios. Hoje, o perigo está ao alcance das mãos a qualquer hora do dia. Uma pesquisa realizada pelo Centro Nacional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC) revela que 97% dos estudantes brasileiros acessam a internet utilizando smartphones. Diante dessa realidade, muitas escolas já lançam mão de filtros de conteúdo via Wi-Fi. É possível, por exemplo, bloquear o acesso a redes sociais, sites impróprios e plataformas de jogos.

5. PERSONALIZAÇÃO DO ENSINO

Diferentemente do que ocorre em uma sala de aula tradicional, onde o professor direciona as atividades sempre considerando toda a turma, a personalização propõe um olhar mais atento para o indivíduo. Com base em evidências comportamentais, tutores virtuais lançam mão da lógica adaptativa para recomendar atividades que combinam com o perfil de cada estudante. A ferramenta também gera relatórios com informações sobre a evolução do estudante e pontos a serem trabalhados pelos professores.

Share this post